Archive for fevereiro, 2011


Publicidade no metrô de Buenos Aires

Creio que o metrô de Buenos Aires, o “Subte”, possua cerca de 10 estações a mais que o metrô de Sao Paulo. Não visitei todas as estações, utilizei muito a linha “D” (verde). As plataformas de embarque possuem quiosques onde se vende de tudo, revistas, refrigerantes e lanches. Os painéis do túnel são estruturas similares aos padrões do metrô paulistano (talvez maiores) mas recebem papel colado ao invés de lona ou adesivo. Existe muita publicidade dentro das composições também.

As fotos a seguir foram tiradas do meu celular por isso nao estão em boa resolução.

Subte - Buenos Aires

Subte - Buenos Aires

Subte - Buenos Aires

Subte - Buenos Aires

Para mais fotos, visite o perfil do SEPEX-SP no Facebook ou o meu perfil: sergio_rizo@hotmail.com

Gritos na parede / Gritos en la pared

Conversando com o amigo argentino Gùzman ele soltou a máxima: “Os painéis sao gritos na parede“!!! Creio que essa foi uma das melhores definições que já ouvi para o assunto. Se seguirmos essa lógica, numa perspectiva mais sonora, poderíamos dizer que a vitalidade que a cidade transmite com a grande quantidade de pessoas, carros, anúncios e demais atrativos turísticos espalhados pela urbe se transcodificaria em um tango misturado com rock e o entorno do Obelisco seria o clímax ou o refrão dessa música. Lá temos diversos painéis em topo de prédio, eletrônicos, painéis em LED, cartazes em parede e em obras, as pantallas municipales, mupys, abrigos de ônibus, ações de marketing (como falarei mais adiante em outro post), publicidade no farol, panfletos…

Entorno do Obelisco

Av. 9 de julio

Entorno do Obelisco

Av. 9 de julio

Será que Gotan Project seria a trilha adequada?

“Mini outdoors”

O termo “outdoor” foi tão difundido no Brasil que, especialente para o público em geral, virou sinônimo de Mídia exterior. Quem é do meio sabe que outdoor significa exclusivamente um painel medindo 9,00 x 3,00m e geralmente estruturado com caixilho metálico ou madeira e com um vão livre de aproximadamente 3,00m.

E como era antes do outdoor? Pelo que conversei com os colegas das antigas, existiam diversos padrões, proporcionais a quantidade de folhas impressas que poderiam receber. Acho que os painéis presentes em Buenos Aires hoje são os tipos que existiam em São Paulo.

Muito embora em Buenos Aires tenhamos painéis com altíssima tecnologia (leds por exemplo). É muitíssimo comum encontrarmos painéis de 2, 6 ou 8 folhas. Até onde conversei com o pessoal aqui, estes painéis são permitidos especialmente nos tapumes de obra de construção cívil. É permitido em outras possibilidades também mas ainda não obtive todos detalhes (creio que em breve terei).

Exemplos da diversidade:

3 painéis de 2 folhas

3 painéis de 2 folhas

2 painéis de 6 folhas

2 painéis de 6 folhas

4 painéis de 6 folhas

4 painéis de 6 folhas

Assim como as pantallas municipales são um dos símbolos da cidade (digo isso depois que comprei uma miniatura em uma feira de artesanato na Recoleta), creio que esses painéis também o são.

Tango – Maria Nieves Rego

Opa!!.. Bele?!..

Como vocês perceberam pelos últimos posts, o Sérgio entrou numa empreitada por terras vizinhas e, como ele não me convidou, rs.. Resolvi ao menos seguir a mesma linha.

Então, em ordem inversa aos seus desbravamentos, pesquisei na área musical o que havia de “clássico” pelas áreas em que ele se embrenhou.

Comecemos com o Tango! Sim, o Tango! Uma de minhas paixões e daqueles que sabem apreciar uma boa música, porém frustrados pés de valsa, quem sabe um dia?!.. Não há como falar de tango sem citar Edmundo Rivero, Carlos Gardel, Astor Piazzolla, Osvaldo Pugliese, Amelita Baltar e por aí vai…

Afinal, cada estilo com a sua particularidade, carrega no ritmo o que o DNA do país representa. Harmoniosamente, aliado a dança, exibe através dos movimentos a forma como a alma interpreta às notas. Uma das danças mais sexys exigiria alguém que exalasse sensualidade, e neste quesito, destaca-se Maria Nieves Rego.

Maria Nieves Rego And Juan Carlos Copes [Tango]

Maria Nieves Rego And Juan Carlos Copes

Cobiçada parceira de dança e desejada aos olhos masculinos numa época em que o tango ditava o ritmo, desde cedo ela soube usar o seu charme e olhar faceiro para conquistar plateias ao redor do mundo. De origem humilde e sofrida, filha de imigrantes, ela teve de aprender muito cedo as duras lições da vida. Viu a sorte surgir quase que por acaso ao acompanhar a irmã num baile, e dali, aos grandes palcos, foi um salto! Esta é sem dúvida, uma das maiores bailarinas argentinas.

 

A ordem natural das coisas exige a mudança, avessa às críticas, ignora as normas e adapta-se! Eu poderia citar alguns exemplos, mas há inúmeros ao longo da história. Não seria diferente com o tango. Sua “nova” roupagem, denominada electro tango, causa tanto furor quanto a versão clássica. Difícil foi separar um único representante diante de um vasto leque rico de referências. Então, overdose de electro tango!

Ah… Gotan Project, lógico!!..

Aliás, eles lançaram no final do ano passado (2010), um álbum cuja tipografia se encarrega de transmitir toda a sensualidade inerente ao estilo musical.

Bônus:

Normalmente o bônus foge sorrateiramente do estilo em destaque, mas neste caso, é mais uma curiosidade mesmo. Seja ou não você apaixonado por tango ou cinema, creio que já tenha assistido o filme Moulin Rouge, não?!.. Pois bem, lembra-se do Tango Roxanne?!.. Sim aquela versão da música do The Police, mas e a base, sabe de quem é?!..

Eis a versão original – Tanguera.

Afinal,

Everything is a remix, neh?!..

Abraço,

@mjr_jr

Pantallas Municipales – Buenos Aires

Em Buenos Aires observamos uma grande variedade de padrões e formatos. Creio que mesmo depois de bater umas 1500 fotos de publicidade ao ar livre, e depois de conversar com pessoas do meio, ainda não assimilei tudo.

Primeiramente temos as “pantallas municipales” que são engenhos instalados desde o século XIX e são um dos ícones da cidade. Existem muuuuuuitos desses engenhos, mas muitos mesmo. Pretendo me aprofundar na pesquisa sobre esse tipo de painel, quero descobrir quando começaram a existir e as legislações  primárias.

Bom, esse painéis estão em toda a parte e até onde entendi, existe um sistema de concessão para que empresas privadas gerenciem-nos durante um certo período. As campanhas são fixadas em papel colado e mudam em períodos inferiores a uma semana (altíssima rotatividade). Não medi a área útil mas tenho quase certeza que a medida é a da nossa folha de outdoor. Creio que os padrões gráficos são iguais aos padrões brasileiros.

Percebi que muitos desses engenhos careciam de manutenção.

Em pesquisa sobre a publicidade na cidade de São Paulo encontrei no DPH uma resolução de 1862 que autorizava a instalação de 07 “Columnas de Propaganda” com o gerenciamento do inglês, Sr. Adolph Muller.

Que comparação podemos fazer????

Documentar e tentar entender as formas, conteúdos e atores relacionados à mídia exterior faz parte da minha atuação profissional e acadêmica há cerca de 15 anos. Em 2009 tive a oportunidade de publicar um livro contando um pouco da história da mídia exterior na cidade de São Paulo e capítulo de outro tratando da mídia exterior como objeto para ensino de geografia. Em 2010 surgiu a oportunidade de realizar um estudo na USP com o objetivo de comparar a mídia exterior existente em algumas cidades latinoamericanas. Como produto desse projeto teremos a defesa de uma tese dentro do Programa de pós graduaçao para Integração da América Latina (PROLAM/USP).

Podemos contar nos dedos as pessoas que se dedicam a produçao de conteúdo para mídia exterior. Para nao deixar de fazer menção, temos no Brasil a editoria Mídia Out-of-Home no Portal “eAgora” (www.eagora.com.br) com notícias diárias, gerenciado pelo jornalista Jorge Mussolin, e o portal “Láfora” (http://lafora.com.br/) do professor Sérgio Viriatto que é mais focado na diversidade da mídia exterior pelo mundo. Os demais meios de comunicação especializados em publicidade geralmente documentam apenas o supra-sumo das informaçoes mais importantes sobre o assunto.

Quando meu projeto foi aceito na universidade iniciei uma ampla pesquisa para identificar as pessoas e entidades que poderiam me apoiar nessa empreitada. Verificando o e-agora, encontrei notícias sobre mídia exterior na América Latina, especialmente na Argentina sob assinatura do jornalista argentino Carlos Gùzman Heredia. Assim, iniciei um diálogo muito frutífero com esse colega que há cerca de um ano me responde prontamente a todas dúvidas sobre o assunto em terras “porteñas”. Nao bastasse isso, quando comentei da minha necessidade de visitar a Argentina e entrevistar algumas pessoas que atuam no segmento, Gùzman se dispôs a contactar empresários e criativos que trabalham com mídia exterior na Argentina e fez a intermediação para que eu pudesse fazer meu trabalho de campo.

Assim, antes de entrar “pra valer” na postagem de informaçoes e fotos deste projeto (já tenho cerca de 1300!!! veja algumas nos posts anteriores e nos meus álbuns do Facebook) fica aqui registrado o meu agradecimento a Gùzman e todos que trabalham no segmento de publicidade.

No melhor estilo “Show da Xuxa” (“beijo pra minha mãe pro meu pai e pra você”) não posso esquecer de mandar um abraço para a equipe do SEPEX-SP, Fogaça, Thays, Hélidinha, Graciete e Adriana e para sua diretoria que topou me apoiar no projeto (espero corresponder)!!! No campo técnico e acadêmico a amiga Mônica Balestrin e, na Universidade, minha orientadora Margarida K. Kunsch, colegas do PROLAM. Um abraço para a equipe do dia a dia na RS Projetos e por fim para quem “segura minhas broncas”: Jú e família (sou canceriano, tem que falar desse pessoal sim!!!!)

Hasta luego

Terça feira pela manha embraquei no “Buquebus” de Colonia para Buenos Aires. Nao tinha hotel reservado mas estava tranquilo pois sabia da existência de uma grande oferta de hospedagem. Logo na fila do barco conheci um simpático casal, o Sr. Mònico e a Dona Maria, conversamos bastante e eles me indicaram um hotel que haviam ficado recentemente. Perfeito! Da saída do buquebus me dirigi para o hotel, a pé mesmo, andando cerca de 4 quarteiroes.

Depois de me estabelecer decidi dar uma olhada nos arredores para tentar entender um pouco da organizaçao da publicidade. Este dia eu pequei para descansar pois certamente teria muuuito trabalho pela frente:

Av. 9 julio x Corrientes

Av. 9 julio x Corrientes

Cidade linda, muito linda. Temos alguma publicidade em mobiliário urbano na Avenida principal e adjacências, detalhe, de novo a Av. principal se chama 18 de julho… (o mesmo de Montevidéu, obviamente em funçao da história desse país, enfatizei essa data por curiosamente ser o dia do meu aniversário tbm!!!).

Abaixo algumas fotos de publicidade:

Abrigo de ônibus - Colonia

Abrigo de ônibus - Colonia

"Lonados" em Colonia

Mas creio que ficaram mais legais as fotos “de turista”: http://www.facebook.com/home.php#!/album.php?aid=2092603&id=1027196032 

No próximo post Buenos Aires… demaaaais:

Av. 9 de julio

Av. 9 de julio

Av. 9 de julio

Caros, na segunda feira 14/02 saí do Terminal “Tres Cruces” rumo a Colonia de Sacramento, uma cidade fundada pelos Portugueses no século XVII que vive do turismo e do serviço de transporte marítimo (Buenos Aires – Colonia).
A viagem de ônibus durou cerca de 2 horas e meia e o que vi foi uma paisagem rural, muito bonita. Observei no percurso alguns painéis na Rodovia. O padrao desses em muito lembra o nosso outdoor mas creio que sao maiores. A maioria sao lonados, eventualmente pintados mas sempre com uma ótima estrutura metálica:

Mídia Exterior em Montevidéu

Cheguei por volta do meio dia do domingo. O aeroporto de Carrasco é uma pérola, muito  clean e a publicidade existente lá é totalmente integrada ao ambiente. Por um momento nem parece que emos publicidade. Temos painéis em paredes, no corredor de desembarque e envelopamento nos ônibus (no momento a campanha é Johnnie Walker)

Aeroporto de Carrasco - Montevidéu

Aeroporto de Carrasco - Montevidéu

Saindo do aeroporto verifiquei a existência de alguns “front-lights” e um tipo de painel parecido com o nosso outdoor mas creio que com medida superior, talvez 10,00 x 4,00m. Infelizmente fui pego de surpresa e ñ consegui fotografá-los.

Chegando ao hotel, já fui logo deixando a bagagem e iniciando o trabalho de campo. Andando pela avenida da orla , encontrei muuuuitos mupys e relógios. Me chamou a atençao alguns mupys com publicidade rotativa.

Mupy na Av. da Orla

Mupy na Av. da Orla

Caminhando um pouco mais cheguei no belo Parque Rodó onde encontrei crianças e jovens jogando futebol, futvolei e volei. As marcaçoes portáteis das miniquadras a vestimenta dos instrutores e as placas laterais eram personalizadas: “projeto+Patrocinador (Coca-Cola)”.

Projeto especial da Coca-Cola

Projeto especial da Coca-Cola

A cidade é incrivelmente bonita e parece que a Mídia Exterior acompanha o design da cidade. Um bom exemplo é no encontro da Av. Sarmiento x 21 de Setiembro em que, fazendo um olhar 360º observamos 4 empenas, 2 topos de prédio, 3 mupys, 1 abrigo de onibus e um mobiliário para reciclagem com 2 publicidades. Eu parei porque vi a empena e fiquei um bom tempo parado e aos poucos foi “surgindo no olhar” os demais painéis. Ñ era algo invasivo, acho que é isso que quero expressar.

Empenas

Empenas

Caminhei até uma das Avenidas pincipais que é a “18 de julio” (coincidência ou ñ é o dia do meu aniversário) e lá mapeei, sim, com gps e foto tudo o que apareceu de mídia exterior até o centro histórico, cerca de 3km. Todos abrigos com publicidade e algo que achei interessante foi o mobiliário de reciclagem, citado anteriormente. Cada uma dessas “caixas” recebe um tipo de material para reciclagem: vidro, plástico etc. Muito interessante:

Caixa de reciclagem

Caixa de reciclagem

Para ver mais fotos visite os álbuns de meu facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=1027196032 (Sérgio Rizo)

Dicas e curiosidades, entre em contato comigo: sergio_rizo@hotmail.com ou comente o post.

Hoje â noite / amanha de manha devo postar o que encontrei em Colonia del Sacramento e nas Rodovias Uuguaias.

Obs: os erros de acento sao por conta dos padroes dos computadores em espanhol… pretendo resolver isso em breve…rs

“Saludos”

Sérgio Rizo

%d blogueiros gostam disto: