Segundo dados da EMBRATUR, um dos destinos turísticos no exterior mais procurado por turistas brasileiros é a capital portenha Buenos Aires. Dependendo de onde se resida no Brasil, visitar a cidade é mais barato e prático que muitos outros importantes destinos nacionais.

Para quem deseja conhecer a rica cultura argentina não faltam opções: são diversos museus e centros culturais, cafés, restaurantes, apresentações de tango etc. A cidade possui ainda locais emblemáticos como a região do Obelisco. Sem dúvida esta é uma das regiões com maior fluxo de pedestres e veículos do país, e, como não poderia ser diferente, os anseios públicos e privados prezam a existência de diferenciais na região para chamar a atenção dos turistas. Um exemplo desses diferenciais é a instalação de palco para shows variados aos finais de semana, outro, é a existência de grande quantidade de painéis publicitários na região, em especial as pantallas electronicas. A empresa Atacama possui dois painéis desse tipo em frente ao Obelisco, um de 90 m² e outro de 60 m², ambas no lado ímpar da avenida. Do mesmo lado da rua existe um painel com cerca de 66 m² que transmite publicidade e informações sobre o mercado financeiro. Além destes três painéis, em junho de 2010 a Coca-Cola argentina instalou na face de quase todo o prédio da Av. Carlos Pellegrini com a Diagonal Norte uma “televisão gigante” com aproximadamente 570 m² divididos em duas faces (uma de 21 x 21 m e outra de 6 x 21 m). Segundo informações dos jornais locais, o governo local não só autorizou a instalação como classificou a iniciativa como primeiro passo para criar na região uma espécie de “Times Square Sul-americana”. O investimento da Coca-Cola foi de aproximadamente US$ 7 milhões.

Contudo, por conta de denúncia de deputados que alegaram que a grande luminosidade do painel ocasionaria riscos na segurança viária e que o corpo de bombeiros havia verificado problemas de segurança o painel foi desligado dias após sua inauguração.

Durante os anos de 2011 e 2012 um imbróglio processual se seguiu. Após grande disputa, o painel da Coca-Cola foi ligado em junho de 2012 e o que vemos a partir do Hotel Republica é um verdadeiro show de cores e imagens.

Segundo depoimento de um dos mais antigos empresários de mídia exterior, Valentim Germano Sola, São Paulo também teve sua “Times Square” no Vale do Anhangabaú, sobretudo nos anos 50 e 60: “Você ia lá a noite para passear, para ver a publicidade”. Essa região, que é ícone no processo de verticalização da cidade, apresentava grande quantidade de painéis em neon nos topos dos prédios.

Como se percebe, o ideário do “Times Square” é coisa antiga: Transmite a sensação de qualificação e curiosidade.  Ao mesmo tempo vale ressaltar que a mídia exterior gera sentimentos e simbologias, daí decorre a responsabilidade de se imprimir na paisagem elementos que colaborem com a estética, história e cultura dos lugares.

"Times Square Paulistana"

“Times Square Paulistana” anos 50 – Vale do Anhangabaú

Sérgio Rizo, sócio da RS Projetos é geógrafo, Mestre em Ciências para integração da América Latina (USP) e professor universitário. Escreveu o livro “A mídia exterior na cidade de São Paulo” (Necrópolis, 2008).