Ainda não tenho todos os detalhes, mas até onde conversei com colegas do meio, eventos com a magnitude de Copa do Mundo ou Olímpiadas possuem regulamentações que garantem exposição publicitária ampla aos patrocinadores. Pensando em SP, estamos face a um curioso paradoxo em que a proibição da publicidade exterior convencional (outdoors, front-lights…)  realçará a existência dos painéis superdiferenciados que estão por vir. Possivelmente os argumentos se basearão na premissa citada e o tipo de publicidade a ser instalada nessa terra serão diferenciadas, cenograficas, e talvez grafites o que mais me assustaria por assassinar nessa ocasião a transgressão própria do movimento.

Exemplos? No começo do ano a Coca Cola colocou um cofre cenográfico na Pça do Patriarca (centro velho SP) em uma ação de mkt em que as pessoas respondiam um quiz e acertando as perguntas abria-se o cofre com a taça…

Foto extraída de: Propmark

A matéria completa sobre o assunto pode ser lida em: http://designinforma.blogspot.com/2010/01/cofre-gigante-da-coca-cola-mobiliza.html . Como pode ser observado é uma ação muito diferenciada mas que no fim das contas é efetivamente mídia exterior publicitária

É claro que as patrocinadoras encontrarão meios e métodos de deitar e rolar nas ruas das capitais brasileiras nos próximos anos, o curioso vai ser observar as saídas jurídicas promovidas pela própria prefeitura para dar vazão a essa inerente demanda. Essas empresas detém as maiores verbas e portanto as ótimas campanhas e novas  tecnologias para impactar as pessoas. Um bom exemplo disso rolou esses dias na estação de metrô vila Mariana, veja o vídeo abaixo encaminhado pelo parceiro de correrias Fábio Nader (Sábio Nader para os mais próximos):

Só tem um detalhe, nem todo mundo passa por esse corredor na estação, portanto o número de impactos talvez não sejam exatamente os demonstrados…

PS: Só pra adiantar o expediente, acabo de criar uma categoria COPA pra organizar o os posts do que ai aparecer nos próximos anos.