Archive for junho, 2010


Graffiti em Floripa

No fim de maio, o Museu Victor Meirelles (Floripa) promoveu uma ação de graffiti em tapume metálico. Participaram do evento o grafiteiro Zezão/SP (estamos virando promoter do cara!!!kkk), além dos artistas locais Vejam, Rizo, Driin, Danka, Tim Tchais, San, Vina, Paulo Gouveia e Azo.

Pauta: Jonatha Jünge, designer, pesquisador sobre comunicação visual na paisagem urbana (publicidade/arte/graffiti)
+ fotos: http://www.flickr.com/photos/jonathaj/sets/72157623979556705/

Vídeo campeão: http://vimeo.com/12853552

Matéria completa: http://www.zupi.com.br/index.php/site_zupi/view/graffiti_em_floripa/

Trabalho de muita qualidade, parabéns aos colegas catarinenses.

Anúncios

Copa-Cola 2014 Brazil

Ainda não tenho todos os detalhes, mas até onde conversei com colegas do meio, eventos com a magnitude de Copa do Mundo ou Olímpiadas possuem regulamentações que garantem exposição publicitária ampla aos patrocinadores. Pensando em SP, estamos face a um curioso paradoxo em que a proibição da publicidade exterior convencional (outdoors, front-lights…)  realçará a existência dos painéis superdiferenciados que estão por vir. Possivelmente os argumentos se basearão na premissa citada e o tipo de publicidade a ser instalada nessa terra serão diferenciadas, cenograficas, e talvez grafites o que mais me assustaria por assassinar nessa ocasião a transgressão própria do movimento.

Exemplos? No começo do ano a Coca Cola colocou um cofre cenográfico na Pça do Patriarca (centro velho SP) em uma ação de mkt em que as pessoas respondiam um quiz e acertando as perguntas abria-se o cofre com a taça…

Foto extraída de: Propmark

A matéria completa sobre o assunto pode ser lida em: http://designinforma.blogspot.com/2010/01/cofre-gigante-da-coca-cola-mobiliza.html . Como pode ser observado é uma ação muito diferenciada mas que no fim das contas é efetivamente mídia exterior publicitária

É claro que as patrocinadoras encontrarão meios e métodos de deitar e rolar nas ruas das capitais brasileiras nos próximos anos, o curioso vai ser observar as saídas jurídicas promovidas pela própria prefeitura para dar vazão a essa inerente demanda. Essas empresas detém as maiores verbas e portanto as ótimas campanhas e novas  tecnologias para impactar as pessoas. Um bom exemplo disso rolou esses dias na estação de metrô vila Mariana, veja o vídeo abaixo encaminhado pelo parceiro de correrias Fábio Nader (Sábio Nader para os mais próximos):

Só tem um detalhe, nem todo mundo passa por esse corredor na estação, portanto o número de impactos talvez não sejam exatamente os demonstrados…

PS: Só pra adiantar o expediente, acabo de criar uma categoria COPA pra organizar o os posts do que ai aparecer nos próximos anos.

Com 21 prêmios na categoria outdoor, as agências brasileiras recebem 4 vezes mais prêmios que no ano anterior na categoria. Neste ano, a categoria outdoor contempla dois tipos de competições: uma para avaliar peças tradicionais, em painéis, cartazes e mobiliário urbano; e outro para as criações definidas como “de ambiente”.

No Festival todo e suas foram inscritas 24.200 peças publicitárias para disputarem 674 troféus em 11 categorias.  Veja a lista completa das campanhas brasileiras vencedoras em:
http://www.mmonline.com.br/eventos/cannes/2010/premiados/

Alguns cases:

Fedex

Natura (o mais retardado de todos…)

Sábado, 26/06 às 16hs, a Galeria Choque Cultural abre a exposição individual do Grafiteiro José Amaro Capela, o Zezão.

Pra quem não conhece, Zezão é um artista muito ativo com vários grafites na cidade e uma das suas particularidades é a peculiar escolha do ambiente da execução de alguns trabalhos:  lixões, favelas, galerias pluviais, etc. São nesses espaços que ele consegue demonstrar de forma sintética as dialéticas da megalópole, os descasos e o nosso efêmero modo de vida.

Nas suas palavras: “Através do meu trabalho consigo demonstrar a questão social, a aventura, a valorização do espaço e o protesto, o descaso do poder público e o quanto a sociedade gera de lixo”.

Abaixo um videozinho dele num programinha “Grobau” só para dar uma contextualizadinha básica (bem básica mesmo):

Slide Show no Lost Art:

http://www.lost.art.br/zezao_slideshow.htm

Mais informações sobre a exposição: http://choquecultural.com.br/blogs/zezao/

O meu jeito de “pescar” o DNA das localidades que visito é através da verificação da mídia exterior. Os padrões, a existência ou inexistência me dizem muita coisa. Nesse fim de semana realizei uma das viagens mais bacanas dos últimos tempos visitando meus queridos primos da cidade de Matão, aprox. 300km de SP, uma cidade que eu gosto muito. Meus primos e primas são simplesmente demais, animadíssimos e não deixam faltar nada em nossa breve estadia, especialmente cerveja e os comes!!!

Realizando o trabalhinho de campo básico encontrei algumas pérolas:

1) Carretas com Publicidade
Já tinha visto algo assim em SP há muito tempo atrás na Nações Unidas, no extremo Sul da cidade, mas em Matão alguns anúncios são em papel, outros em lona vinílica e a empresa responsável informa a patente do projeto e oferece franquia. Algo muito genuíno, vejam as fotos:

2) Projeto Cidade Limpa
E depois, colaborando para um raciocínio que relacionei em blog de uma colega, em que trato do termo “Cidade Limpa” – http://tudibao.com.br/2010/06/a-lei-cidade-limpa-foi-a-solucao-para-sao-paulo.html – encontro uma verdadeira pérola no centro da cidade, uma lixeira, do mobiliário urbano daquela cidade com a sinalização de ser parte do “Projeto Cidade Limpa”, vejam abaixo:

É ou não é o verdadeiro conceito de CIDADE LIMPA????


Só para constar, essa deliciosa cidade fica próxima de Araraquara (vizinha) e Ribeirão Preto (um pouco mais longe). Cidade limpíssima, pessoas muito bacanas e de lá sai boa parte do suco de laranja exportado do Brasil para o Mundo. Lá também é uma das cidades em que ocorre a ornamentação das ruas com painéis de serragem no feriado de Corpus Christi, saiba mais no site da cidade: http://www.matao.sp.gov.br/ (preciso me aposentar logo pra ir morar lá)

Itaú “alumia” o céu de capitais

Extraído do site do Clube da Criação de SP, http://ccsp.com.br

O Itaú, patrocinador da Seleção Brasileira de futebol, passa a iluminar o céu das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Porto Alegre, Belo Horizonte e Curitiba com verde e amarelo durante toda a Copa do Mundo, entre 18h e 5h.

A ação, desenvolvida pelo banco em parceria com o designer Marcello Dantas, utiliza 140 refletores, cada um com 10.000 watts de potência e 300 quilos.

O feixe de luz pode alcançar até sete quilômetros de altura, dependendo das condições atmosféricas.

Para viabilizar a ação, foram envolvidos mais de 500 profissionais – entre engenheiros, programadores, light designers e equipe especializada em energia.

Serão 140 pontos de luz espalhados por nove locais: três na capital paulista (Conjunto Nacional, Itaú Cultural e Centro Empresarial Itaú Unibanco), Pão de Açúcar no Rio de Janeiro, Torre da TV na Capital Federal, Forte São Marcelo em Salvador, Usina do Gasômetro na capital gaúcha, Edifício Itália em Curitiba e Torre Alta Vista em Belo Horizonte.

Para divulgar a iniciativa, o Itaú prepara campanha para TV e mídia impressa, além de ação durante voos comerciais que sobrevoarem as cidades em que o projeto ocorrerá.

Mais de 220 agências do banco espalhadas pelas sete cidades receberão iluminação especial verde e amarela.

Mesmo tendo escrito um livro contando a história da Mídia Exterior na cidade de São Paulo, muitas vezes tenho dificuldade em exprimir o que é a bendita mídia exterior e o que busco com esse tipo de abordagem. Bom, sou geógrafo e como tal meu objeto de estudo é o espaço geográfico. Na concepção mais teórica o espaço geográfico é entendido como um sistema indissociável de objetos e ações. Chamamos território. Todos fazemos parte de uma nação, de uma determinada sociedade, cultura, etc e portanto tudo isso ocorre em um determinado espaço que não só é influenciado por esses itens como também exerce influência sobre os mesmos.

O que enxergamos no espaço se chama paisagem e esta pode ser composta de uma série de coisas tais como montanhas, edificações, cachoeiras, a sala da sua casa, ou seja, o que tú estiver vendo! O grande esforço do geógrafo é tentar explicar o que enxerga, especialmente a organização ou desorganização das coisas que escolhe pesquisar.

O que aprendemos na escola sobre geografia: as capitais da pqp, o nome dos rios da casa do chapéu, e outras decorebas geralmente inúteis, não refletem o propósito dessa ciência que tem uma produção muito interessante no Brasil sobretudo a partir da obra do Professor Milton Santos.

No meu caso em especial, eu trabalho com Mídia Exterior desde 1995 produzindo artes finais para anúncios em painéis, projetando estruturas metálicas, licenciando anúncios e por fim assessorando as empresas desse segmento na comunicação através de folders, anúncios, catálogos, websites, etc.

Pouco a pouco percebi que os painéis, enquanto elementos participantes da paisagem, possuiam uma série de particularidades que, devidamente dissecadas, ajudavam a entender as coisas que acontecem no “lugar” e em outros “lugares”. Daí comecei essa epopéia de verificar os processos que promovem a existência de outdoors, front-lights, e toda sorte de engenhos que encontro nas cidades. Essas particularidades dizem muita coisa e esse diálogo eu tento expor nesse canal aqui.

Um dos principais desdobramentos dessa linha de pesquisa esta sendo entender outras manifestações de ocupação da paisagem como o grafite a pichação e outras manifestações culturais como os tapetes de serragem ou não que tomam ruas de muitas cidades brasileiras no dia de Corpus Christi. Mas isso ainda está na gaveta, o que realmente trabalho hoje é com a Mídia Exterior e muito brevemente estarei visitando outras cidades latinoamericanas justamente para ver o que existe de engenhos publicitários nestas e o contexto, isso por conta do mestrado que desenvolvo na Universidade de São Paulo.

Acho que é isso

Sérgio Rizo
sergio_rizo@hotmail.com

Exposição de Cartazes Russos em SP


Exposição no Tomie Ohtake, bem legal, videozinho:
http://mais.uol.com.br/view/xiddtuwnvlqs/metropolis–exposicao-de-cartazes-russos-04029A336ED8C96386?types=A&

Lendo um artigo de Dudu Tsuda, http://colunistas.yahoo.net/posts/2509.html acabei caindo em outras coisas do meu interesse e no meio do garimpo cibernético encontrei um dos achados mais legais dos últimos tempos: partes da entrevista dos grafiteiros “OS GÊMEOS” no site da TV Cultura. Sou suspeitíssimo para tratar do assunto pois desde pequeno sempre simpatizei com o grafite, ando pela cidade procurando grafite, sempre mudo meu caminho do ipiranga para a zona sul visando “cortar caminho pelo Cambuci” só pra procurar mais e mais grafites deles. Até quando uso o Fura-Fila ficou procurando o topo de um prédio em que eles pintaram a uma cabeça  amarela muito lega. No aprofundamento das minhas pesquisas sobre intervenções urbanas, no momento ainda estou bem ligado a Mídia Exterior (quem me conhece sabe) mas já estou cortejando o grafite há bastante tempo e quero me debruçar no assunto logo mais (quem sabe um estudo bacana sobre o tema…)

Pára Tudo e venha para o Cambuci

Link para os vídeos dos Gêmeos no Roda Viva: http://www.tvcultura.com.br/rodaviva/programa/PGM1183

PS: TV Cultura é o único canal da TV aberta que da pra assistir…

Sérgio Rizo
@sergiorizo

Publicidade em mobiliário Urbano

Visitei a Camara Municipal de São Paulo hoje para acompanhar a discussão do PL sobre a licitação do mobiliário urbano. Não acrescento fotos pois como não havia solicitado autorização, o policial presente solicitou que eu não fotografasse.

Enfim:

Em sessão extraordinária presidida pelo vereador Antonio Carlos Rodrigues, o vereador Paulo Frange realizou uma exposição com cerca de 20 minutos sobre o PL PL 47 /2010, do executivo que dispõe sobre a outorga e a gestão de concessão visando a criação, confecção, instalação e manutenção de relógios eletrônicos digitais de tempo, temperatura, qualidade do ar e outras informações institucionais, de abrigos de parada de transporte público de passageiros e de totens indicativos de parada de ônibus, com exploração publicitária. Em sua fala o vereador informou que o projeto contemplará a concessão de 1000 relógios e cerca de 14000 abrigos de ônibus com duas faces de publicidade, iluminados e georreferenciados.

As premissas para o edital atenderão as regras das leis de Parcerias Público Privadas das diversas instancias governamentais, e, segundo o vereador, por ocasião da remoção dos anúncios publicitários com a lei cidade limpa, a valorização desses equipamentos será muito diferenciada a ponto de julgar esta licitação como a maior já verificada na América Latina em termos de retorno econômico à municipalidade.

Após o período contratual os abrigos instalados integram-se ao patrimônio municipal.

O vereador João Antonio pediu uma parte para registrar suas preocupações sobre o aumento do poder do prefeito para a produção do edital questionando:

1)      Quanto a cidade vai ganhar?

2)      Como se dará a manutenção? Haja vista a incapacidade da gestão atual em manter em boa qualidade os mobiliários existentes hoje.

3)      Que tipo de empresa poderá participar deste edital? O vereador trata neste ponto sobre a igualdade de oportunidade entre as empresas participantes.

Para a sessão ser aberta havia a necessidade da presença de 28 vereadores e 33 se apresentaram, contudo para a discussão eram necessários 18 e apenas 16 informaram sua presença no painel. Devido a falta de corum a discussão sobre o presidente adiou a discussão para nova sessão extraordinária a ocorrer quarta-feira dia 9 de junho.

%d blogueiros gostam disto: